ESPECIALISTAS DEFENDEM O USO DE LINGUAGEM SIMPLES EM LAUDOS PERICIAIS

Compartilhe esse conteúdo.

O laudo pericial destinado à Justiça do Trabalho deve ser objetivo, dispensar jargões técnicos e responder aos quesitos de maneira direta. Essas foram algumas ideias apresentadas pelo desembargador do TRT-2 Homero Batista Mateus da Silva durante seminário realizado nessa quinta-feira (29/2) no Fórum Ruy Barbosa, na Barra Funda.

Na exposição, o magistrado abordou a possibilidade de haver laudos divergentes para o mesmo caso, recomendou, a depender da avaliação do(a) perito(a), a elaboração de laudo com duas hipóteses e respectivas conclusões. Sugeriu, ainda, a realização de concurso público para a área a fim de minimizar a perda de profissionais que deixam de auxiliar a Justiça em razão dos baixos honorários.

O encontro também reuniu médicos, professores e peritos que trataram de temas controvertidos como o sigilo da perícia médica, a interferência de grupos sociais nos atos médicos e de que forma garantir a equidade na inclusão das pessoas com deficiência. Ao final, o público participou com perguntas para a mesa de especialistas. Acesse a página da Escola Judicial e confira currículos e programação completa do seminário. Veja também o álbum de fotos.

Perícias administrativas

Durante a abertura, a desembargadora-presidente da Justiça do Trabalho da 2ª Região, Beatriz de Lima Pereira, elogiou o evento, saudou os presentes e expressou algumas inquietações relacionadas ao teletrabalho no Regional.

A primeira é por ter, como gestora do órgão, a tarefa de decidir sozinha o destino de um(a) periciado(a) – seja ele(a) servidor(a) ou membro da magistratura – que busca o reconhecimento de condição especial de trabalho em razão da deficiência. 

A outra é que, apesar da luta pela igualdade entre os seres humanos (mesmo com todas as diferenças), existe, em sua opinião, um movimento de pessoas com deficiência defendendo sua própria exclusão do ambiente de trabalho.

Fonte: Tribunal Regional do Trabalho 2ª Região São Paulo

Últimos posts

Justiça do Trabalho Mobiliza-se Contra a Violência Sexual de Crianças e Adolescentes em Maio

Durante o mês de maio, a Justiça do Trabalho intensificou ações para combater o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes em todo o Brasil. Esta iniciativa, parte do Programa de Combate ao Trabalho Infantil e de Estímulo à Aprendizagem, envolve os 24 Tribunais Regionais do Trabalho e coincide com o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, celebrado em 18 de maio. Ações incluem palestras, rodas de conversa e campanhas de sensibilização, realizadas tanto nos tribunais quanto em espaços públicos. Autoridades ressaltam a importância da denúncia e da conscientização da sociedade para enfrentar esse grave problema.

LEI DA IGUALDADE SALARIAL HOMEM E MULHER

A Lei nº 14.611/2023, também conhecida como lei da Igualdade Salarial entre homens e mulheres, foi promulgada em julho de 2023, reforçando

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *