Rodrigues Jr.

Apple, Google, Intel e Adobe fazem acordo de R$ 1,5 bi em ação trabalhista.

Voltar

Apple, Google, Intel e Adobe fizeram um acordo para pagar US$ 415 milhões e colocar um ponto final em uma ação coletiva que acusava as empresas de conspirar para não contratar os empregados das outras companhias.

Durante o processo, que teve início há quatro anos e no qual participaram 65 mil funcionários e ex-empregados do setor tecnológico, foram gerados mais de 3,2 milhões de documentos.

A juíza distrital de San José (Califórnia) Lucy Koch afirmou nesta quarta (2), apesar de a informação só ter vazado na quinta (3), que o acordo extrajudicial é “justo, adequado e razoável” para os trabalhadores envolvidos na ação.

As quatro empresas propuseram em janeiro o pagamento dos US$ 415 milhões (R$ 1,56 bilhão) depois de a magistrada rejeitar os US$ 324,5 milhões (R$ 1,2 bilhão) oferecidos anteriormente pelas companhias.

O processo revelou como as empresas de tecnologia combinaram esforços para evitar contratar os profissionais da concorrência, o que, segundo os trabalhadores que denunciaram o caso, limitou suas possibilidades de prosperar e conseguir melhores salários.

Entre as informações vazadas há uma troca de e-mails entre o já falecido fundador da Apple, Steve Jobs, e Eric Schmidt, ex-executivo-chefe do Google e agora presidente-executivo da Alphabet, a holding recentemente criada que reúne o Google e outras seis empresas.

Nas mensagens, Jobs pede a Schmidt que impeça a contratação de um dos engenheiros da Apple: “Ficaria muito satisfeito se seu departamento de recursos humanos interromper isso”, escreveu Jobs em e-mail enviado no dia 7 de março de 2007.

O ex-executivo-chefe do Google repassou a mensagem para o setor responsável, ordenando que a contratação não fosse confirmada.

“Acho que temos a política de não recrutar gente da Apple. Poderiam interromper isso e me dizer por que está ocorrendo? Preciso enviar uma resposta à Apple rapidamente, portanto, por favor, respondam-me o mais breve possível”, escreveu Schmidt.

Cada um dos trabalhadores receberá cerca de US$ 5.770 (R$ 21,7 mil).

Fonte: Folha de São Paulo, 04.09.2015...